Publicidade
Sexta-Feira, 20 de Outubro de 2017
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 19º C

Ação civil pública apura o destino de R$ 3 milhões arrecadados em campanha em Joinville

Investigação apura denúncias de que após a arrecadação, os pais Renato Henrique Openkoski e Aline da Cunha teriam comprado carro e casa

Colombo de Souza
Florianópolis
15/09/2017 às 22H48

Tramita na 4ª Promotoria do Ministério Público de Joinville ação civil pública sugerindo investigação sobre os R$ 3 milhões arrecadados em campanha nacional para iniciar o tratamento do menino Jonatas Henrique Openkoski, de 1 anos e três meses.  Ele nasceu com Atrofia Muscular Espinhal e necessita de um medicamento chamado Spinraza que não é fabricado no Brasil.

A doença do menino causou clamor público e várias pessoas participaram da campanha “Ame Jonatas” com doações financeiras, inclusive artistas nacionais. A quantia foi arrecadada em pouco mais de dois meses.

Campanha para ajudar criança é alvo de investigação da polícia em Joinville - Reprodução/ RIC TV
Campanha para ajudar criança é alvo de investigação da polícia em Joinville - Reprodução/ RIC TV


O medicamento é importado e levaria cerca de 40 dias para chegar ao Brasil por causa de embaraço aduaneiro e de outros entraves burocráticos. No entanto, passados mais de dois meses, surgiram desconfianças e falta de transparência na campanha. Há denúncias de que após a arrecadação, os pais Renato Henrique Openkoski e Aline da Cunha teriam mudado o padrão de vida: comprado carro, casa e telefones celulares importados.

Ouvidos em maio por uma equipe da RIC TV, os pais negam. Dizem que os valores estão em uma conta que eles não têm acesso e ressaltaram que o celular foi presente de um amigo que mora no exterior.  As denúncias foram encaminhadas à 5ª Promotoria, mas a promotora Dimas Lessa Garcia mandou arquivá-las.

Agora, a ação civil pública que tramita na 4ª Vara Criminal de Joinville vai investigar outros itens da denúncia. O Jornal Notícias do Dia  tentou entrar em contato com o promotor André Braga de Araújo, mas o assessor informou que ele está doente e deve retornar ao trabalho somente na próxima segunda-feira.

Publicidade

6 Comentários

Publicidade
Publicidade