Publicidade
Quinta-Feira, 21 de Setembro de 2017
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 20º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

  • CPI da JBS blinda Lula, convida Janot e convoca Joesley

    O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), prepara mais um gesto de fidelidade ao Palácio do Planalto. Diferente da postura – dúbia à época – em relação à primeira denúncia da PGR contra o presidente Michel Temer, agora tem atuado nos bastidores para acelerar o enterro da segunda. Assessores técnicos passam pente-fino nos 25 pedidos de impeachment contra Temer em tramitação. Todos vão para a vala do arquivo, inclusive o apresentado pela Ordem dos Advogados do Brasil.

    É o Rock

    O BOPE vai subir a Rocinha depois do encerramento do Rock in Rio. Estuda-se o auxílio de tropa de elite do Exército, para ocupação temporária.

    Emudeceu

    Maria Christina Caldeira esbarrou com Moreira Franco em Nova York: “Oi ministro, seu nome está no extrato do meu ex-marido”. Trata-se de Valdemar da Costa Neto.

    Mulher-bomba

    A ex-mulher de Valdemar o processa e agora mora nos EUA. Segundo conta, auxilia o FBI na investigação de off-shores de brasileiros e fechou[...]

    Leia mais
  • CPI da JBS deve preservar ex-presidente Lula da Silva

    O presidente do Congresso, Eunício Oliveira (PMDB-CE), fez um pacto com o presidente da CPI da JBS, senador Ataídes de Oliveira (PSDB-TO), para preservar o ex-presidente Lula da Silva. Numa reunião com Ataídes há dias, Eunício pediu que ele derrube os pedidos de convocação de Lula para a CPI, que começa hoje a analisar os requerimentos. Na contrapartida, Eunício terá o apoio da bancada do PT na Casa em votações importantes, e ganha apoio do PT cearense para sua reeleição ao Senado.

    No prelo             

    O Partido Social da Família (PSF) já tem CNPJ e coleta assinaturas Brasil afora. Quer também filiar um grande nome para disputar a Presidência ano que vem.

    Pós-caravana

    Lula da Silva precisa de 15 milhões de votos dos nordestinos para ser competitivo em 2018. Dos nove Estados da região, ele já tem palanque montado com pelo menos seis.

    Domiciliar

    O deputado federal Lucio Vieira Lima, irmão de Geddel, avisou a amigos que vai se ausentar[...]

    Leia mais
  • Senado analisa projeto do ‘SUS’ da Segurança Pública

    Na semana em que o Exército agoniza no Rio de Janeiro sem verbas para mais operações diante de um festival de falácia das autoridades sobre a repressão ao crime, um projeto de lei que pode ir a votação nos próximos dias no Senado surge como um alento. Bancos e instituições financeiras terão que destinar 3% do lucro líquido para o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Segurança Pública, que poderá abastecer os Estados para cobrir os custos com as polícias.  A ideia é de autoria do senador João Capiberibe (PSB-AP): “A proposta é criar um ‘SUS’ da segurança pública”, resume.

    Fatias

    O Fundo também poderá ser composto com parte da arrecadação do IPI, ICMS das indústrias bélicas, além do ISS das empresas de segurança privada nos municípios.

    Era Temer

    Michel Temer liberou R$ 2,5 bilhões referentes a 13 mil emendas a deputados este ano. Aos senadores, foram desembolsados R$ 418 milhões.

    A dois

    Barack Obama deve almoçar com Fernando Henrique[...]

    Leia mais
  • Batalha interna trava nomeação do novo Diretor Geral da PF

    Uma guerra interna de apadrinhados na Polícia Federal travou a nomeação do novo diretor geral da Polícia Federal, e Leandro Daiello fica no cargo por ora. O presidente Michel Temer nomearia Fernando Segóvia, mas houve alta rejeição de quadros importantes da corporação, por ser um apadrinhado de José Sarney e de parte do PMDB. Numa última tentativa, Segóvia conseguiu na sexta-feira o apoio velado da Federação dos Policiais Federais e da Fenadepol, que abrange parte dos delegados. Porém a categoria mais forte, a Associação Nacional dos Delegados, o barrou. As classes que apoiam Segóvia agora querem apadrinhar o delegado Reinaldo César, ex-secretário de Segurança do Paraná.

    Da cúpula

    Segóvia ainda tem chances, mas menores; já o DG Daiello, que fica por tempo indeterminado, aponta internamente o delegado Luiz Pontel como seu favorito.

    Subiu

    O preferido dos militares do GSI do Palácio do Planalto é Rogério Galloro, o nº 2 da PF. Como Segóvia perdeu[...]

    Leia mais